Bahia, 18 de julho de 2024 às 09:15 - Escolha o idioma:

10 Séries de Mulheres Incríveis e Empoderadas Para Ver na Netflix


Publicado em: 11 de junho de 2018


 

 

Está quase impossível achar um programa de qualidade na tv aberta, quanto mais uma programação inteira que valha a pena dedicarmos nosso tempo precioso. Sumiram da tevê as séries brasileiras que se destacavam na telinha. As novelas? As mesmas porcarias de sempre, portanto resta-nos poucas opções para o entretenimento caseiro nas atuais telonas.

 

Quais são as boas opções de séries disponíveis?

Vemos ao final, um desfile de personagens bem construídos, fortes,marcantes, que trazem à tona discussões relevantes e oportunas para reflexão (mesmo que seja de maneira “prosaica” assistindo tevê) de conjunturas sociais ou de formação humana.

 

É  o caso do discurso do empoderamento feminino. Ao mesmo tempo, as séries tem mostrado a desconstrução gradativa de padrões que não representam mais muitos aspectos da sociedade. Atualizam o repertório de questões chave para o discurso sobre direitos das mulheres.

 

Há na tv por assinatura e no canal Netflix, excelentes séries estrangeiras com protagonistas mulheres – norte-americanas, britânicas, europeias e até coreanas – de excelente qualidade, muito bem construídas, com raros lapsos no roteiro ou na produção.

Como a estrutura básica das séries estrangeiras são episódios que atravessam temporadas anuais, é muito comum conhecermos e acompanharmos a fundo a evolução de muitos personagens, claro que principalmente os favoritos.

 

Vemos o elenco vivenciar numerosos obstáculos, sentimentos, situações e fatos que problematizam e contextualizam personalidades singulares, muitas vezes com grande riqueza interior ou uma humanidade peculiar e/ou complexa. Nos vemos naquelas histórias.

 

Cristine Souza

 

 

Confira a Lista, Escolha Alguma e Comece Já sua Maratona Antes que a Netflix tire do Catálogo

 

01- Greys Anatomy:

 

Muito do que se diz de Grey`s Anatomy além da sua incrível longevidade (a série tem        14 anos no ar), é sobre a exibição de um número enorme de de personagens             mulheres, poderosas de variadas maneiras de ser.

 

Várias delas têm cargos importantes, todas trabalham muito duro, têm a sexualidade que querem, são muito independentes e rejeitam veementemente, estereótipos. Elas lutam bravamente por seus sonhos e desejos, além, claro, da riqueza pessoal de cada uma das personagens que incorporam.

Vemos ainda grandes casos de amor que perpassam os 14 anos de histórias envolventes no hospital e mensagens  valiosas passadas nos diálogos sobre empoderamento feminino – famosas no mundo inteiro, mostrados ás vezes nas redes sociais.

 

02- Gilmore Girls:

 

Mãe solteira, apaixonada pela maternidade, empresária, moderna, alegre e humana à beça. Essa é Lorelai, a mãe solteira mais feliz do planeta, mas que também enfrenta algumas grandes dificuldades, porque também é humana.

 

Lorelai e o mundo em que vive nos conquistam imediatamente, com seus amigos companheiros para todo problema. Seu otimismo é contagiante e todas as lições de vida que enfrenta ela divide com sua filha, que também é sua grande companheira.

 

Mas também não são poucas as vezes que ela aprende com a menina, que aos poucos vai se tornando mulher, e as duas crescem juntas a cada etapa do caminho, com uma enorme vontade de viver e a superação de dificuldades.

 

03- Desesperate Housewifes:                                                                                                                                       

 

Baseando-se no cotidiano de cinco donas de casa que são vizinhas num condomínio, a série tem o foco inicial no suicídio de uma delas, que por sinal é a narradora da história. A tradução do nome da série é: Donas de Casa Desesperadas…rs

 

A série contém elementos de drama, suspense, mistério, romance, comédia e até policial na medida certa para acompanharmos depois do jantar ou antes de dormir, ou ainda, em horas de maratonas com amigas num fim de semana.

 

Na história vemos personagens de personalidades e vidas diferentes e variadas, que enfrentam dificuldades e adversidades que vão moldando cada uma delas no decorrer da trama, que trazem soluções ou mais problemas às suas vivências pessoais.

 

Há enfrentamento de doenças graves, há recomeços de carreiras profissionais já na maturidade, mulheres que enfrentam a dicotomia da maternidade/ou profissão, e mulheres emancipadas e livres que enfrentam o preconceito por suas escolhas sexuais e estilos de vida.

 

04 – Revenge:

 

Os enredos de dramas em que os personagens dão a volta por cima e duramente conquistam um espaço, ainda chamam muito a atenção. Ainda mais quando a protagonista experimenta um leve sabor de vingança. E Revenge é assim.

 

A protagonista passou por situações dolorosas na infância, adolescência e juventude. Mas, na vida adulta já demonstra uma força e capacidade de superação incríveis. No entanto, a amargura pelas grandes perdas que passou a acompanham.

 

A série mostra a dualidade em sua vida, dividida entre a importância da superação e a necessidade de vingança. Mas ela sabe que para se vingar pagará um preço caro?

 

É um drama com todos os traços novelísticos que os brasileiros estão acostumados e com destaque para os personagens femininos, sempre muito fortes. Uma produção caprichada com a vantagem de não ter episódios demais que podem enfraquecer a trama.

 

05- Scandall:

 

Olivia Pope, este é o nome da empoderadíssima mulher negra de Scandall. Olívia é brilhante, inteligentíssima, independente, mora sozinha, tem a liberdade que sempre quis e namora quem quer, sem nenhuma sombra de opressão nos relacionamentos. Ao contrário, geralmente é ela quem dá as cartas.

 

Olívia comanda um escritório de advocacia especializado em resolução de grandes crises de seus clientes (problemas potencialmente difíceis de resolver para qualquer um, mas não para Olíivia e sua equipe).Trabalham fora dos tribunais e correm contra o tempo alucinadamente para evitar a exposição negativas dos clientes.

 

Essa equipe de parceiros de trabalho foram escolhidos a dedo por ela e eles dão um duro danado para agradar a chefe e também crescerem pessoal e profissionalmente. Tanto a protagonista quanto o resto do elenco dão um show de interpretação.

 

06- The Good Wife

 

A boa esposa. É essa a tradução do título da série, mas não se engane, ela não é boba, nem jamais inferior. E o melhor, é uma personagem madura, que poucas vezes vemos como protagonistas, e quando isso ocorre é bom se deliciar.

 

Embora se chame “A Boa Esposa”, The Good Wife é uma série dramática/de tribunal com indiscutível qualidade, alem de um tom deliciosamente poético e com elenco espetacular.As tramas e os problemas dos personagens são muito bem elaborados, torcemos por cada vitória e sofremos com as derrotas na medida certa.

 

A evolução da personagem-chave, Alicia, é enriquecedora como papel feminino. É ótimo ver os degraus que ela galga em sua trajetória como mulher, mãe e profissional. os demais personagens da série também são muito bons, cheios de nuances e histórias de vida surpreendentes.

 

 07- How to Get Away With Murder

 

A protagonista é uma mulher negra poderosíssima, que driblou todos os preconceitos e desafios como mulher no mundo para alcançar seu lugar devido. Ela é forte, decidida, de carreira de sucesso, professora de direito, determinada e durona – muitas vezes.

 

Além de dar aulas, Annalise comanda um escritório de advocacia com uma equipe escolhida a dedo por ela, ou seja, repercute seus exigentes padrões. Todo o elenco é interessante e cada um tem uma história incrível para contar, além do grande tema central.

 

A trama resume-se aos casos que  o escritório de Annalise pega e o desenrolar dos acontecimentos, até que a própria equipe envolve-se num instigante e imperdível caso difícil de resolver. Torcemos por cada minuto pelo desenvolvimento da história.

 

A partir daí vamos acompanhar a repercussão desse caso dentro da equipe junto com Annalise. Vemos as consequências das decisões tomadas por casa membro, suas reações e como lidam entre si após o acontecimento fatal.

 

08- Miss Fisher´s Murder Misteries

 

Moderna, ousada, feminista, empoderada e feminina…em plena década de 1920! Quase impossível mas é o qua série australiana mostra com muita propriedade numa série caprichada e divertida.

 

A série é um drama policial, mas doses caprichadas de humor refinado romance, um excelente elenco, tramas bem construídas e uma protagonista insubstituível. a história é baseada em livro do mesmo nome, de uma escritora australiana, Kerry Hreenwood.

 

Phyrne é sedutora em todos os aspectos, como humanista nata, gentil e respeitosa com todas as classes, mesmo sendo ela mesma uma rica herdeira. Com um astúcia e capacidade de dedução surpreendentes, ela torna-se detetive particular e vai ajudar o delegado da cidade a resolver crimes difíceis.

 

09- The Catch

 

Ela é inteligentíssima, competente demais no trabalho, independente, articulada e…linda! Junto à sua equipe e parceira, tem um escritório de investigações especiais, que lida com grandes problemas de clientes em todo o mundo. Alice, Valerie e sua equipe são muito competentes e é divertido acompanhar as tramas do grupo.

 

Tudo complica um poco mais quando Alice sucumbe ao charme do mega-mentiroso namorado, que se torna seu noivo e a deixa pra lá de furiosa e decepcionada quando ela descobre que ele mesmo tem segredos difíceis de engolir. Ela tem que investigar o seu grande amor?

 

Na história, as reviravoltas são acompanhadas num ritmo frenético de todo o elenco, todos passam por algumas transformações e descobertas o que dá uma dinâmica muuito boa à série. Bom elenco, visual caprichado, enredo razoável.

 

Há algumas mulheres poderosas tanto no elenco fixo, tanto com as convidadas que chegam e saem dos episódios. todas controlam a ferro e fogo suas vidas, sem deixar ninguém intrometer-se sem convite. Empoderamneto puro e “simples”.

 

10- Saving Grace

 

Holly Hunter é uma atriz veterana, no bom sentido da palavra – atriz de muitas perfomances – todas muito talentosas, inclusive ganhadora de um “oscar”, o maior prêmio do cinema. Nesta série, “Saving Grace”, ela interpreta uma detetive com a vida pessoal em frangalhos.

 

Mesmo uma ótima policial, Grace vive inúmeros conflitos pessoais e sua vida começa a desmoronar e ela a se auto-destruir. Bebe demais, sai com homens que mal sabe o nome, fica distante e fria com todos, parentes e e amigos. Grace acha que não tem salvação para sua vida.

 

Ao mesmo tempo, vemos realmente o  quão humana e doce Grace é no fundo. Sua necessidade de se punir começa a ser questionada quando um anjo aparece para ela. Depois de inúmeros tropeços, ela começa a tentar refazer sua vida.