Bahia, 18 de junho de 2024 às 06:38 - Escolha o idioma:

Luto no mundo da ciência pela morte de Stephen Hawking


Publicado em: 14 de março de 2018


Londres, 14 mar (Prensa Latina) Diversas vozes do mundo lamentam hoje o falecimento do astrofísico britânico Stephen Hawking, que resolveu grandes enigmas do universo desde sua cadeira de rodas.

‘O professor Stephen Hawking era uma mente brilhante e extraordinária, um dos grandes cientistas de sua geração. Sua coragem, humor e determinação para tirar o máximo proveito da vida foi uma inspiração’, escreveu em sua conta oficial no Twitter a primeira-ministra britânica, Theresa May.

‘Estamos profundamente entristecidos pelo falecimento de nosso pai’, expressaram seus três filhos, Lucy, Robert e Tim, em um comunicado publicado nesta quarta-feira.

‘Era um grande cientista e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado sobreviverá por muitos anos. Sua coragem e persistência, com seu brilho e humor, inspiraram pessoas por todo o mundo. Teremos saudades para sempre’, acrescentaram.

Considerado o herdeiro de Albert Einstein, revolucionou a Física com suas teorias do espaço-tempo, o big bang e a radiação dos buracos negros. Seu livro Breve história do tempo, do Big Bang aos buracos negros, publicado em 1988, vendeu mais de 10 milhões de exemplares.

‘Provavelmente a mais significativa e conhecida de minhas contribuições foi minha descoberta de que os buracos negros não são completamente negros, mas que brilham como corpos quentes’, declarou Hawking em uma ocasião.

Herdou em 1979 a cátedra ocupada por Isaac Newton no século XVII, quando se converteu em professor de matemáticas aplicadas e física teórica em Cambridge.

Doente de um mal neurodegenerativo progressivo diagnosticado aos 21 anos, não confiava que poderia desenvolver seus estudos, mas conseguiu controlar sua doença e se adaptar às novas circunstâncias.

Quando em 1985 perdeu a voz, depois de se submeter a uma traqueotomia, seguiu se comunicando graças a um sintetizador vocal ligado a um computador.

No Gonville and Caius College, na Universidade de Cambridge, as bandeiras tremulam hoje a meia haste e os estudantes e docentes assinam o livro de condolências.

O mundo da ciência está de luto pela morte de um de seus maiores filhos, mas o universo é agora o lar de um legado inigualável que supera o espaço-tempo.