Bahia, 23 de junho de 2024 às 00:59 - Escolha o idioma:

Mudas de árvores típicas de mata ciliar são plantadas na Lagoa Grande


Publicado em: 5 de junho de 2018


Espécies de Genipapo, Ipê Rosa, Aroeira, Jacarandá, Figueira de Leite, Sibipuruna, Algodoeira e Ipê Branco foram plantadas na Lagoa Grande, na manhã desta terça-feira, 5, Dia Mundial do Meio Ambiente. A ação que marcou a data, no município, foi resultado de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam), a Pirelli e a Conder (Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia).

“Essas mudas arbóreas são de espécies apropriadas para mata ripária, também chamada de mata ciliar, que é a vegetação situada nas proximidades de lagos, nascentes, mananciais, cuja finalidade é a proteção natural dos cursos d’água”, explicou o educador ambiental da Semmam, João Dias.

Em sete anos as árvores já estarão dando sombra e flores

Ainda foram plantadas espécies de Cajueiro Branco e Ingá, que são frutíferas. “São árvores que vão atrair pássaros”, acrescentou. De acordo com João Dias, a previsão é que daqui a sete anos, essas mudas já estejam com três a cinco metros de comprimento, dando sombra e flores – a depender das condições climáticas.

“Sensação de alegria”, diz estudante

Grupos de Desbravadores da Igreja Adventista do Sétimo Dia também participaram desse momento que reuniu, ainda, estudantes da Escola Municipal Horácio Silva Bastos, situada no bairro Caseb. Ao ajudar plantar uma muda de Ipê Branco (espécie considerada rara), o estudante do 5º ano Talisson Conceição dos Santos (foto), 11 anos, comemorou o ato. “A sensação é de alegria”, revelou.

Aos oito anos, Maria Júlia Guerra disse que “achou legal” plantar. A mesma opinião compartilhou Maria Eduarda da Silva, de 10 anos, estudante do 5º ano, na Escola Horácio Silva Bastos, que colocou as mãos na terra, demonstrando a sua responsabilidade com as questões ambientais.

Ato que reforça compromisso diário

O diretor do Departamento de Educação Socioambiental, Hiram Freire, observou que essa é uma data que merece destaque. No entanto, reforçou que as ações da Semmam visando à conscientização da população para as questões ligadas à preservação do meio-ambiente fazem parte da nossa rotina de trabalho. “Esse é um ato que reforça o nosso compromisso diário”, pontuou.

Data reforça o papel de cada cidadão com a preservação ambiental

O secretário de Meio Ambiente, Arcênio Oliveira (foto), também esteve presente à comemoração e destacou a importância da data. “Esse é um dia para lembrar e reforçar o papel que cada cidadão deve ter na preservação do meio ambiente”, afirmou considerando que “são de pequenos atos que se faz a diferença”.

Ao agradecer a parceria da Pirelli e da Conder, o titular da Semmam falou sobre o surgimento do Dia Mundial do Meio Ambiente.  A data foi instituída em 1972, pela Organização das Nações Unidas (ONU), durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente, em Estocolmo. Seu principal objetivo é chamar a atenção da população para os problemas ambientais e para a importância da preservação dos recursos naturais.

Espetáculo evidencia a superação e quebra de paradigmas proporcionados a partir da dança

O espetáculo final das oficinas de dança do ventre e dança tribal, deste semestre, oferecidas pelo Programa Arte de Viver, foi realizado na noite desta segunda-feira, 4, no Teatro Ângela Oliveira, do Centro de Cultura Maestro Miro.

As oficinas, que tiveram como professora Bia Vasconcelos, foram realizadas no Maestro Miro e no CEU (Centro de Esporte e Arte Unificado) da Cidade Nova, e tiveram as participações de mais de cem pessoas.

Mais de uma centena de pessoas assistiram ao espetáculo, que teve três coreografias, muito aplaudidas pelo público, pela beleza, sincronismo e o figurino.

“Os nossos alunos deram o melhor deles. Por isso, faço uma avaliação positiva de todo o processo, desde as aulas até o espetáculo final”, afirmou a professora.

Ela destacou que as oficinas estão abertas a pessoas de todas as idades. “E o que a gente viu no Teatro Ângela Oliveira é que todos nos temos capacidade para dançar. E bem”.

Secom/FS