Bahia, 23 de fevereiro de 2024 às 23:00 - Escolha o idioma:

Polícia do Equador prende suspeitos de assassinar promotor que investigava invasão de traficantes a TV


- Crédito da Foto: Redes Sociais - Publicado em: 19 de janeiro de 2024


Um dos presos dirigia o táxi que perseguiu o César Suarez pelas ruas de Guayaquil e o outro, segundo os investigadores, foi quem atirou para matar. Com eles, também foram apreendidos um fuzil, duas pistolas, munições, uniformes policiais e dois veículos.

 

A polícia equatoriana prendeu dois suspeitos de assassinar um promotor de Justiça. A vítima investigava traficantes que invadiram o estúdio de um canal de televisão.

Um dos presos dirigia o táxi que perseguiu o promotor César Suarez, na quarta-feira (17), pelas ruas de Guayaquil; o outro foi quem atirou para matar, segundo os investigadores. Com eles, a polícia apreendeu armas, munições, uniformes policiais e dois carros. Outros suspeitos de envolvimento no crime estão foragidos.

A polícia identificou 18 marcas de tiro no carro em César Suárez estava. Ele foi assassinado logo depois de deixar a sede da Promotoria. Ele investigava a invasão de traficantes armados a uma emissora de televisão em Guayaquil, na semana passada.

Funcionários do canal ficaram sob a mira dos bandidos. As imagens de desespero foram transmitidas ao vivo. Ninguém se feriu gravemente; 13 pessoas foram presas.

Equador mergulhou em uma crise de segurança pública depois que o narcotraficante José Adolfo Macías Villamar, o Fito, fugiu da prisão no começo do mês. Ele é chefe de uma das maiores facções do Equador.

No dia 9, as ruas de Guayaquil, maior cidade equatoriana, foram tomadas pela violência. O presidente Daniel Noboa decretou “conflito armado interno” e classificou 22 facções criminosas como grupos terroristas.

Nesta quinta-feira (18), o governo enviou o Exército para um dos maiores presídios do país, na periferia de Guayaquil. A polícia informou que o objetivo era confiscar objetos proibidos e manter o controle dentro do presídio.

G1