Bahia, 22 de maio de 2024 às 09:07 - Escolha o idioma:

RS: ‘Em 35 anos nunca vi nada parecido’, diz coronel do Corpo de Bombeiros da Bahia


- Crédito da Foto: Corpo de Bombeiros da Bahia (CBMBA) - Publicado em: 11 de maio de 2024


Jadson Almeida é o comandante da tropa de agentes baianos que ajuda na operação de resgate e reconstrução do Rio Grande do Sul

 

 

Há 9 dias no Rio Grande do Sul, a tropa do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA) já resgatou mais de 210 pessoas em áreas de risco, retirou 20 animais deixados pelos donos em suas propriedades e removeu seis corpos. Busca e resgate são as atividades principais dos bombeiros da Bahia. Eles atuam em conjunto com militares de outros corpos de bombeiros do País.

Em entrevista com o bahia.ba, o coronel Jadson Almeida comentou sobre a situação do Rio Grande do Sul. “Em 35 anos de bombeiro nunca vi nada parecido. É muita tristeza, muito sofrimento, são muitas perdas. As pessoas nos abraçam chorando”, contou o militar que comanda a tropa de agentes baianos.

Segundo o coronel, o trabalho árduo está longe de chegar ao final. “Aqui perdemos a noção da hora, sequer percebemos os dias passar. Vamos a campo salvar o máximo de pessoas possíveis”, disse ao bahia.ba. A turma que embarcou na semana passada deve ser substituída para uma leva de novos agentes no dia 16. “O pós é ainda mais complicado. Aqui ainda tem muito trabalho. E conforme determinou nosso governador vamos ficar aqui, nos revezando”, garantiu.

Vinte e dois militares estão divididos em Caxias do Sul e Bento Gonçalves. Além do resgate, os bombeiros da Bahia ajudam na desobstrução de algumas pistas e na reinstalação de serviços. O objetivo foi reduzir o peso e evitar novos deslizamentos de terra e contribuir para a melhoria do ambiente, facilitando a recuperação posterior.

Doações na Bahia – Todos os quartéis do CBMBA estão recebendo, das 8h às 18h, água, ração para animais, materiais de higiene pessoal e de limpeza e alimentos não perecíveis.  Os donativos serão levados para as vítimas da chuva que incide no Rio Grande do Sul. É importante que antes de doar, os cidadãos observem o prazo de validade dos itens, que devem ter no mínimo 15 dias para serem utilizados.