Bahia, 22 de maio de 2024 às 08:40 - Escolha o idioma:

Tontura: especialista alerta para o risco de queda de idosos


- Crédito da Foto: Divulgação Blog Clínica SIM - Publicado em: 8 de maio de 2024


Problema atinge 40% das pessoas com mais de 80 anos, e é uma das causas mais frequentes de trauma entre os idosos.

Segundo dados do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, 40% dos idosos com 80 anos ou mais sofrem quedas todos os anos. Boa parte dessas quedas são geradas por tonturas, condição perigosa que pode ser potencializada por inúmeras doenças. Sendo assim, torna-se cada vez mais necessária a conscientização da população com relação aos cuidados básicos para garantir a segurança e bem-estar dos idosos.

Conforme o médico otorrinolaringologista do Hospital Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO), Alexandre Gasperin, são mais de 70 doenças, somente da parte periférica do corpo, que têm como sintoma a tontura. “Além da área periférica do sistema de equilíbrio, existe a parte neurológica, que pode causar tonturas também. É preciso sempre ter em mente que tonturas são sintomas, não são uma doença. Um profissional qualificado vai identificar a causa e indicar o tratamento, que é individualizado caso a caso. A recorrência das tonturas indica que o tratamento não está correto”, alerta o especialista.

Geralmente, as quedas, que são uma das causas mais frequentes de trauma entre os idosos, podem ser previstas e evitadas. De acordo com Gasperin, diversas condições podem causar o desequilíbrio em idosos, entre elas as doenças do labirinto, alterações visuais, fraqueza muscular, doenças crônicas como o diabetes e problemas neurológicos.

“Para o tratamento, cada caso tem a sua particularidade, por isso o acompanhamento deve ser individualizado e pode incluir medicações, mudanças comportamentais e tratamentos de reabilitação. O tratamento correto é prescrito após o diagnóstico médico do quadro”, complementa o especialista.

Conheça algumas medidas simples que podem evitar as quedas:

Escadas: providenciar iluminação suficiente para ser possível enxergar todos os degraus. Instale corrimão em ambos os lados para permitir o apoio indispensável. Evite piso escorregadio ou coloque um carpete preso nos degraus.

Cozinha: não guarde alimentos e utensílios em locais altos. Não utilize cadeiras ou bancos para tentar acessar armários. Limpe imediatamente o chão ao derramar algo. Evite cera e tapetes.

Banheiro: utilize um distribuidor de sabão líquido ao invés de sabonete solto. Instale corrimão na banheira e nas paredes do banheiro. Coloque adesivos antiderrapantes em áreas úmidas e nunca tranque a porta do banheiro.

Calçados: evite usar saltos e chinelos, opte por um calçado firme no pé. Utilize calçadeira para auxiliar a colocar o sapato.

Orientações gerais: não pule refeições, estômago cheio é importante. Use óculos, se necessitar, mas remova os de leitura ao caminhar. Não corra para atender o telefone ou a campainha. Conserte o assoalho se tiver tábuas soltas. Mantenhas os números de emergência, entre eles os de hospitais e de parentes e amigos, bem ao lado do telefone. Evite usar roupas muito compridas.

Os cômodos com maior perigo de queda para os idosos

Com o avançar da idade, cair se torna algo corriqueiro e cada vez mais perigoso, vários problemas como fraqueza muscular, osteoporose, falta de equilíbrio e falhas na visão são agravantes para deixar o idoso ainda fragilizado, agravando ainda mais a situação caso ocorra uma possível queda. Sendo assim, é importante tomar todos os cuidados possíveis para evitar que alguma fatalidade possa acontecer.

Diferente do que comumente se acredita, o cômodo que apresenta maior perigo para o idoso não é o banheiro. Segundo um estudo realizado pela TeleHelp, empresa especialista em assistência à terceira idade, que oferece um botão de emergência para ocorrências como as quedas.

Na pesquisa, foram analisados 600 chamados de idosos que caíram atendidos entre janeiro e setembro de 2019, destes: 34% foram para ajudar pessoas que caíram no próprio dormitório; 16% dos pedidos de socorro vieram da sala; seguida pelo banheiro, com 12%. As demais áreas como cozinha, corredor e áreas externas responderam por 9%, 3% e 3%, respectivamente.

Como evitar as temidas quedas?

Como cair se torna uma ameaça, especialistas em geriatria recomendam efetuar algumas adaptações par evitar que o idoso possa eventualmente acabar caindo. Sendo assim elencamos as principais dicas de acordo com o cômodo, são elas:

No quarto

Por ser muitas vezes o apoio ao levantar da cama, a mesa de cabeceira deve ser bem firme, se possível presa ao chão para evitar que vacile ou não dê o suporte esperado. Assim como a fixação da mesa de cabeceira, existem outras estratégias no quarto que podem ajudar, como ter um abajur próximo da cama com o interruptor de fácil acesso diminui a chances de surpresas ao levantar a noite, ajustar a altura da cama para que não fique muito alta ou muito baixa também auxilia ao levantar, bem como a remoção de qualquer tapete ou obstáculo em lugares de movimentação constante.

Outro ponto bem importante para o quarto é deixar uma cadeira para que as trocas de roupa sejam feitas de maneira mais pratica e acessíveis, evitando assim uma eventual queda ou vertigem por conta de agachamentos.

No banheiro

Por ser fechado e escorregadio, o banheiro requer atenção redobrada com os cuidados, é importante que as toalhas e saboneteiras estejam sempre ao alcance da mão para que o idoso não precise se esticar para buscar, bem como é importante ter piso ou tapete antiderrapante e uma cadeira para ajudar a tomar banho, secar e vestir.

Além dos cuidados já citados é importante que, caso ocorra dificuldade em sentar ou levantar do vaso sanitário, seja instalado um assento mais alto e barras laterais para dar maior apoio e sustentação.

Na sala

Ampla ou apertada, salas sempre tem uma grande concentração de móveis e espaços estreitos favoráveis a proporcionar quedas, sendo assim é importante que a mesa de centro e tudo que atrapalhe a locomoção seja retirado para dar mais espaço, bem como se preciso fixar alguns móveis para dar menos instabilidade e mais apoio para o idoso se apoiar.

Outra estratégia bem importante é reservar uma poltrona ou sofá especialmente para que o idoso, sendo assim ele definirá uma rota e poderá se instalar, ou seja, o percurso será conhecido e sem muitos obstáculos, deixando ainda mais fácil a orientação e locomoção de um ponto a outro.

É importante ratificar que o idoso deve visitar regularmente o especialista em geriatria para entender como anda sua saúde e poder tomar os cuidados necessário para minimizar ao máximo os efeitos do envelhecimento. Na Clínica SiM dispomos de profissionais especialistas em reumatologia, nutrição e geriatria, bem como aparelhagem disponível para realização de exames, veja a disponibilidade das agendas e marque sua consulta ou exame.